fbpx
Melhor Turismo 2020
Vídeo: Tâmega.tv

Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo – A grande intervenção

Como forma de assinalar o dia de São Gonçalo, 10 de janeiro, a Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo de Amarante reabriram para uma cerimónia formal repleta de simbolismo. Fechado há 16 meses, é hoje um monumento conservado e requalificado após uma intervenção vasta e muito específica, ao nível da reabilitação do edificado e da conservação e restauro de todo o recheio artístico (esculturas, talha, painéis azulejares, pintura mural, pintura sobre tela e sobre tábua).

Promovida pela Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia de Amarante, no âmbito de uma operação em parceria com o Município de Amarante, cofinanciada pelo Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte, esta intervenção teve como objetivo a reabilitação e conservação do monumento e do seu recheio artístico, projetando-o com valor de uso cultural, social, funcional, económico e turístico.

Hoje, 10 de janeiro, é um dia simbólico, pois é o dia litúrgico de São Gonçalo e começa a contagem decrescente para os 500 anos da igreja, ficam a faltar 18 anos”, afirma o padre José Manuel Ferreira. Realizado com o resultado da empreitada, acrescenta que “este é um momento de grande contentamento pelo trabalho de comunhão realizado, do sentido de missão e compromisso assumidos para levar a cabo tal empreitada”. O grande impulsionador desta obra garante que “a igreja continuará a cumprir a sua missão litúrgica, cultural, histórica, turística, centro de espiritualidade e peregrinação. Com a sua dignidade renovada e espaço litúrgico atualizado continuará a acolher a comunidade paroquial que aqui se reúne para celebrar a sua fé. Foi um grande privilégio estar neste processo de recuperação, restauro, valorização e atualização desta bela Igreja de S. Gonçalo, que é também Monumento Nacional”.

Parceira desde o primeiro momento, a Câmara Municipal de Amarante enaltece, pela voz do seu presidente, o simbolismo de ver este Monumento reaberto no dia do santo padroeiro. “Este é um momento histórico para Amarante e, estou certo, um motivo de grande orgulho para os Amarantinos”, diz José Luís Gaspar. “A partir de hoje conseguiremos ver pormenores que nunca tínhamos reparado na nossa igreja. O conjunto arquitectónico do Mosteiro de S. Gonçalo e da Ponte são o “postal” de Amarante. O nosso maior e mais importante cartão-de-visita. Aquele que fica na memória de cada pessoa que nos visita e que, a partir de hoje, dá novas razões para mais e mais visitantes quererem vir e quererem regressar a Amarante”, realça.

Ao longo de 16 meses foram tratados os problemas com infiltração de águas pluviais e das térmitas, atualizada a infraestrutura elétrica, de iluminação e áudio, e recuperado o recheio artístico. Uma intervenção de grande impacto conservativo, global, pensada e projetada para o imóvel no seu todo, desde a Igreja aos espaços complementares, que foram requalificados e revitalizados.

Além da Igreja e das duas capelas que são o ex-libris da Igreja, a Capela das Oferendas e a Capela do Túmulo de São Gonçalo, é agora possível visitar a Capela de São Gonçalo, onde se encontra a imagem de São Gonçalo da Corda, o coro alto, a torre sineira e a Varanda dos Reis, espaços que potenciam a realização de eventos culturais e turísticos, complementares à promoção e divulgação do Património Cultural e da cultura da região Norte.

Em termos de mobiliário, os bancos da assembleia foram renovados e há três novas peças em mármore, da autoria do escultor Paulo Neves: o altar, com 13 rostos em representação da última ceia; o ambão, com representação dos quatro evangelistas; e uma cadeira. Desta forma, a Igreja de São Gonçalo fica com obras de todas as épocas desde o início da construção.

Este projeto representou um investimento total de mais de dois milhões de euros (2.193.175,01€), e foi cofinanciado pelo Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte em 819 425,20€. Teve ainda como parceiro a Câmara Municipal de Amarante, o acompanhamento técnico da Direção Regional de Cultura do Norte, e como mecenas a Fundação Manuel António da Mota.

Construída no século XVI, a Igreja e Claustro de São Gonçalo têm um incalculável valor histórico, patrimonial, arquitectónico, artístico e turístico.

Às 18h30 realizou-se a cerimónia da dedicação ao altar e a Eucaristia que será presidida pelo Bispo do Porto, D. Manuel Linda.

A partir de dia 16 de janeiro, toda a comunidade está convidada a conhecer a renovada Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo. Como era habitual, haverá Eucaristia às 11h00 e às 18h00, mas as portas abrem às 09h00.

C.M. Amarante
Vídeo: tamega.tv