fbpx
Dolmen, Protocolo com o IEFP

Protocolo com o IEFP através da Dolmen apoiou dezenas de empreendedores

Cerca de 70 empreendedores foram apoiados pela Dolmen nos últimos três anos, na criação do seu próprio emprego ou da sua própria empresa, no âmbito de um protocolo celebrado com o Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P. (IEFP) e que reconheceu à Dolmen a credenciação de Entidade Prestadora de Apoio Técnico (EPAT).

Este apoio técnico, que não tem qualquer custo para o beneficiário, é prestado no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) e é destinado a desempregados, inscritos nos serviços de emprego, que sejam promotores de projetos de criação do próprio emprego ou empresa, através de programas e medidas de apoio promovidas pelo IEFP.

Neste âmbito, a Dolmen tem como território de intervenção os concelhos de Amarante, Marco de Canaveses, Penafiel, Baião, Cinfães, Celorico de Basto, Mesão Frio e Resende.

Este trabalho iniciou em 2017, estando o atual protocolo em vigor até julho deste ano, perspetivando-se que seja renovado, desde logo pela crescente procura verificada na Dolmen, a que não é alheio o desempenho conseguido, traduzido em elevadas taxas de aprovação. Bons resultados advindos da capacidade técnica instalada e do saber acumulado ao longo de duas décadas na gestão de projetos.

Como funciona este apoio?

A Dolmen apoia os empreendedores na estruturação do projeto, nomeadamente na elaboração de planos de investimentos e de negócio; na identificação de fontes de financiamento e na aferição da sustentabilidade, desenvolvimento e consolidação dos projetos. Complementarmente, pode ainda prestar apoio técnico na consolidação do projeto, nos dois primeiros anos de atividade da empresa.

O financiamento é obtido pela antecipação das Prestações do Subsídio de Desemprego, podendo ainda ser mobilizados os seguintes instrumentos: Investe Jovem, para promotores com idade inferior a 30 anos; o Microinvest, para projetos com investimento até 20.000 euros, o Invest +, para projetos com investimento superior a 20.000 euros ou o Microcrédito.