fbpx
Eleições autárquicas
FOTO: PSD

Eleições autárquicas: PSD pondera possibilidade de adiar por seis meses

O PSD está a ponderar propor o adiamento das eleições autárquicas, por causa da situação pandémica instável motivada pelo Covid-19 em que nos encontramos, que estão previstas realizarem-se em outubro deste ano.

Esta possibilidade foi adiantada pelo líder do PSD, Rui Rio, após reunião com o Presidente da República para avaliar a renovação do estado de emergência em Portugal.
Para já Rui Rio avançou que vai refletir “a sério” nessa possibilidade, afiançando que nos próximos dias se prenunciará sobre essa possibilidade que, ao que tudo indica, poderá passar por propor o adiamento em seis meses das eleições autárquicas.

Recorde-se que o presidente da comissão política distrital do PSD da Guarda, Carlos Condesso, considerou, prudente avaliar o adiamento em “pelo menos seis meses” das eleições autárquicas, devido à pandemia.

Segundo Carlos Condesso, o processo das eleições autárquicas “não se resume só ao dia das eleições, começando os contactos pessoais e a auscultação nos mais diversos partidos com muita antecedência”.

No entanto, para adiar as eleições é necessária a maioria – dois terços dos deputados de acordo. E, segundo o Observador, o PS não concorda.

O baionense José Luís Carneiro, secretário-geral adjunto do PS, referiu que “é prematuro” falar-se na possibilidade de mexer no calendário eleitoral, face à evolução incerta da pandemia.

O socialista referiu que, até aqui, nunca se suspendeu a democracia e que as “eleições presidenciais ficaram marcadas por uma grande mobilização dos portugueses, em condições de grande limitação”.

À TSF, o presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, defendeu que “talvez fosse melhor” adiar as eleições, mesmo que ainda exista “uma enorme incerteza” sobre a evolução da pandemia em Portugal.

“Sabemos que durante o verão, provavelmente e independentemente de tudo o resto, poderá haver uma diminuição da incidência”, pelo que “se não houvesse grande prejuízo do ponto de vista político ou jurídico, talvez fosse melhor” realizar as autárquicas “mais tarde”, sugeriu o especialista.

Note-se que as autárquicas estão agendadas para este ano e têm de ser marcadas entre 22 de setembro e 14 de outubro, de acordo com a lei eleitoral autárquica, com, pelo menos, 80 dias de antecedência.

TEXTO com
Liliana Malainho, ZAP // Lusa