fbpx
Conselho Empresarial

Conselho Empresarial apela à celeridade na aplicação Medidas de Apoio

O Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa apela à celeridade na aplicação e execução das medidas de apoio às empresas face ao novo confinamento decretado pelo Governo, acentuam numa tomada posição pública.

“É fundamental garantir que os apoios dispõem de um acesso mais alargado, simplificado e que cheguem às empresas com maior rapidez, a fim de promover a sustentabilidade dos negócios e empregos”, realçam, alertando para uma especial atenção para as empresas do comércio de proximidade, serviços e restauração.

Para o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa é recomendável, por parte das entidades competentes, uma maior análise sob o benefício sanitário do encerramento destes setores considerando-se o enorme prejuízo económico e social que esta decisão acarreta.

Nas medidas elencadas na tomada de posição pública do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa perante os prejuízos económicos provocados por este novo confinamento são enumeradas o alargamento da proposta de um regime especial de apoio às rendas do primeiro trimestre de 2021, que assegure a comparticipação integral do valor das rendas dos estabelecimentos encerrados ao abrigo do confinamento.

“Defende-se a implementação de layoff simplificado comparticipado a 100% pela Segurança Social para as empresas cuja atividade tenha sido encerrada ao abrigo do confinamento e, que este apoio congratule todas as empresas cuja atividade é permitida durante o confinamento, mas cuja faturação seja fortemente penalizada pela efetivação do dever geral de recolhimento domiciliário”, acrescentam.

Para o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa este é um momento em que a cooperação de todos é vital para combater a pandemia e por isso, “apela-se à concretização por parte do Governo de um programa de promoção da retoma das atividades económicas afetadas pelo confinamento, tais como comércio tradicional, alojamento, restauração e indústria”.

O Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa é constituído pelas 11 Associações Empresariais da região, nomeadamente a Associação Empresarial de Vila Meã e de Amarante.