O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) recebeu aprovação do Tribunal de Contas (TC) para projetos considerados essenciais para melhorar e aumentar os cuidados na especialidade de Pneumologia e Nefrologiado, prestados a mais de 5% da população portuguesa, em 12 concelhos de 4 distritos.

Um dos projetos que recebeu luz verde é o alargamento das instalações para a especialidade de Pneumologia, que vai permitir melhorar os dois sectores técnicos mais importantes – a Unidade de Broncologia e Técnicas, com mais garantias de controlo de Infeção, e a Unidade de Função Respiratória –  que passará a ter mais salas e equipamentos, permitindo melhorar as condições de apoio aos Insuficientes Respiratórios e ainda a criação de dois quartos para Estudo do Sono.

Recorde-se ainda que, na especialidade de Pneumologia, o CHTS tem na sua área de influência uma taxa de incidência de tuberculose muitíssimo superior à média nacional e à média do norte de Portugal, que importa atacar de modo mais intenso, sendo a realização desta obra um passo fundamental.

Portugal registou, em 2017 (dados divulgados pela OMS em 2019), menos casos de tuberculose, mas ainda está acima da média europeia.

A incidência no nosso país é de 17,5 casos por cada cem mil habitantes, enquanto na União Europeia não vai além dos 10,7 por cada cem mil.

No Norte, a maior taxa é no Vale do Sousa Sul e Baixo Tâmega.

A Nefrologia é outro serviço cujas obras de alargamento vão permitir, pela primeira vez em muitos anos, a criação de uma unidade de diálise do Serviço Nacional de Saúde (SNS) nesta região que permita dar resposta, evitando a necessidade de transferir doentes para outros hospitais.

Para o Presidente do Conselho de Administração do CHTS, Carlos Alberto “A autorização do Tribunal de Contas é uma excelente notícia nos tempos conturbados que vivemos, pois vai permitir dotar duas especialidades de mais meios e até de mecanismos para uma futura criação de uma unidade de diálise que é reivindicada pela região há muitos anos. Acreditamos que em breve podemos vir a ter mais notícias idênticas sobre investimentos que são essenciais para um Centro Hospitalar que serve mais de meio milhão de pessoa, numa vasta área territorial”.

CHTS