Amarantinos destacam-se no Desporto

Valter Cardoso é Campeão Nacional de Todo o Terreno de NavegadoresRui Teixeira o melhor português na Maratona de LisboaHyundai Motorsport festejou o título do Mundial de Construtores WRC na AustráliaFilipe Cerqueira conquista mais uma Medalha de Prata em Remo AdaptadoAmarantino Jorge Leite Chefe dos Mecânicos do piloto belga Thierry Neuville ajuda equipa a sagrar se campeã de Construtores WRC

Os últimos meses foram, em termos desportivos, muito profícuos para quatro amarantinos que se destacaram nas mais diversas modalidades. É o caso de Rui Teixeira que se classificou a 20 de outubro como o melhor português, na Maratona de Lisboa. O atleta amarantino cortou a meta no 11º lugar com o tempo de 2:25:16.

Nessa mesma data, o militar da GNR, Filipe Cerqueira conseguia mais uma medalha de prata em remo adaptado. Dias depois, mas sobre rodas, Valter Cardoso sagrou-se campeão nacional de Rally Todo-o-Terreno de Navegadores.

A milhares de quilómetros de Portugal, Jorge Leite, chefe dos mecânicos do piloto belga Thierry Neuville, ajudava a equipa a sagrar-se campeã de construtores do WRC. “É com muito gosto que em nome do Município de Amarante congratulo os nossos campeões. Amarante, sempre foi uma terra de grandes nomes também no Desporto e, por isso, é um motivo de orgulho para todos nós!”, salienta José Luís Gaspar, Presidente da Câmara Municipal.

“Foi uma estreia muito positiva”
Garra, determinação e muita força foi o que não faltou a Rui Teixeira, que se estreou na Maratona Clube de Portugal e conseguiu logo ser o melhor português. No final da competição, só podia estar feliz, como o próprio admitia: “Foi uma estreia muito positiva. Escolhi vir aqui a Lisboa por ser uma organização do Maratona Clube de Portugal, o meu anterior clube que tive a honra de representar, e também por não ter a pressão da marca. Não queria olhar para o relógio. Vinha com ambições de lutar pelo lugar de melhor português, numa maratona que será, sem dúvida, uma das melhores da Europa. Corri quase 30 quilómetros sozinho. Mostrei uma força física e mental muito forte. Saio daqui muito satisfeito e com vontade de repetir outra maratona, mas agora para lutar por outros objetivos e arriscar mais”.

Basta recordar que a Maratona de Londres já foi ganha por outro amarantino, António Pinto, que, tal como Rui Teixeira, foi treinado por Alfredo Pinheiro. Fica assim a prova de que, aos 37 anos, Rui Teixeira se quer agora impor na distância. Na verdade, o atleta tem já vindo a treinar para, depois do meio fundo, dar o salto para a maratona, com o objetivo de se vir a apurar para os Jogos Olímpicos de 2020, no Japão. Nos seus objetivos figura, ainda, a participação na mítica Maratona de Londres, na primavera do próximo ano, onde o atleta espera chegar em boa condição, já rotinado, de forma a poder discutir os lugares da frente e, se possível, subir ao pódio.

“O sonho que comanda a vida” e que ainda agora começou!
Após um intenso e discutido ano automobilístico onde Valter Cardoso disputou provas de rali e de todo-o-terreno (TT), o atleta conseguiu conquistar na última prova do ano o título de “Campeão Nacional de Todo-o-Terreno de Navegadores”.

Apesar de o ano não ter começado “da melhor forma” nas primeiras provas de TT onde, quer na primeira (Baja do Pinhal), quer na terceira prova (Baja de Reguengos Monsaraz), já que problemas mecânicos “obrigaram-nos a perder a liderança das mesmas e terminar sem a tão desejada vitória”, Valter Cardoso explica como se sucedeu o momento da viragem.

“Após estas 3 provas menos conseguidas no TT, ocorreu na super especial de Riba d’Ave, quando estava a navegar o piloto que atualmente é Campeão da Europa de Ralis, o britânico Chris Ingram. No final da prova, o speaker, em jeito de brincadeira, questionou-me em direto: “Valter está ali do lado de fora da rede o teu piloto do Todo-o-Terreno, Tiago Reis, tens alguma mensagem para lhe deixar? Eu, com o capacete metido e dentro do carro prontamente respondi: “Tiago acredita que este ano ainda vamos ser campeões nacionais de Todo-o-Terreno”. Foi para mim o ponto crucial de mudança do campeonato. Foi a motivação que o piloto precisava de ouvir e o maior voto de confiança que lhe podia dar naquele momento junto de milhares de pessoas que ouviam em direto na prova”.

E a vitória veio mesmo a concretizar-se! “Foi na quarta prova (Baja de Idanha-a-Nova) e que nos deixou com hipótese de lutar pelo título na última e derradeira prova do ano (Baja de Portalegre) que por sinal é a mais extensa e difícil do panorama nacional e pontuável também para o Campeonato do Mundo de TT. Nessa prova tivemos que lutar contra os pilotos estrangeiros que aderem sempre em massa à considerada prova rainha do TT nacional”.

E assim a equipa conseguiu chegar ao final da prova de Portalegre na frente dos pilotos do campeonato nacional de TT e levar o tão desejado título para casa. “Foi a cereja no topo do bolo para o esforço de uma equipa que tanto lutou e se esforçou para o conseguir. Foi um sentimento incrível, receber esta distinção tão prestigiante numa prova como Portalegre. É um sonho e estou a desfrutar ao máximo dessa conquista pois lutei ao longo da minha carreira automobilística por um triunfo desta envergadura. Sei que é um enorme motivo de orgulho para todos os que me apoiam e estão ao meu lado ao longo de todos estes anos. No entanto, e como sempre aprendi, o “sonho comanda a vida” e tenho consciência que tudo isto ainda agora começou”.

“Enquanto amarantino é um orgulho pertencer a esta grande família de campeões”
A Hyundai Motorsport festejou o título do Mundial de Construtores WRC na Austrália! Para o amarantino Jorge Leite, chefe dos mecânicos do piloto belga Thierry Neuville, trata-se de uma vitória bem especial: “Este título significa muito para mim e para todos nós na Hyundai Motorsport, é fruto de um trabalho árduo que esta fantástica equipa tem vindo a desenvolver desde há 6 anos e do qual eu me orgulho de fazer parte desde 2015. Temos lutado por este título nos últimos anos e este ano conseguimos, um justo prémio para todos nós. Após a vitória no Rally de Portugal em 2018, este é sem dúvida um momento alto e importante na minha vida profissional. Enquanto amarantino é um orgulho pertencer a esta grande família de campeões”.

“Quero trazer mais títulos para Amarante”
Viajou até Turim, nos dias 19 e 20 de outubro, onde participou na categoria de remo Ergómetro e também na prova de mil metros em skiff na categoria RP1, referente à regata ROWING FOR TOKYO PARALYMPIC GAMES 2020, e foi nessa cidade italiana que o militar da GNR de Amarante, Filipe Cerqueira, conseguiu mais uma medalha de prata em remo adaptado.

Questionado sobre o que representa esta medalha, a resposta surgiu de forma imediata e espontânea: “Numa só palavra significa orgulho. Todas as medalhas são importantes, independentemente do seu grau de importância, obviamente que como atleta, luto e quero alcançar sempre o lugar mais alto do pódio, nomeadamente o 1º lugar. Esta medalha significa o culminar de um grande trabalho em equipa, que diariamente eu tenho vindo a desenvolver, em conjunto com a restante equipa técnica em que estou inserido. No entanto, também significa que não podemos baixar os braços, pois o nível de exigência na modalidade de remo adaptado está bastante alto.

Atleta federado desde 2014, sagrou-se campeão nacional em 2015, 2018 e 2019. Títulos que o fazem desejar ainda mais: “Quero trazer mais títulos para Amarante”. A maior dificuldade prende-se mesmo com os apoios financeiros: “Já alcancei medalhas a nível internacional, no entanto para conseguir fundos a um possível projeto paraolímpico tenho estado a apresentar projetos junto de várias entidades, não tendo sido fácil conseguir apoios quer financeiros, quer ao nível de aquisição de material”. E termina deixando uma mensagem: “A vida não é feita de momentos, mas sim, de um conjunto de situações do nosso dia-a-dia, em que momentos fazem parte do nosso quotidiano. Temos de ser fortes o suficiente para ultrapassar as adversidades que nos vão surgindo”.

CM AMARANTE