O Índice de Competitividade Global 4.0, promovido pelo Fórum Económico Mundial, mede a competitividade de 141 países, através da avaliação de indicadores relacionados com as instituições, políticas e produtividade, entre outras.

Na edição de 2019, Portugal manteve a 34ª posição. As melhores classificações foram conseguidas nos pilares das infraestruturas (21º lugar), saúde (22º), dinamismo dos negócios (28º), instituições (30º), capacidade de inovação (31º) e adoção de tecnologias de informação e comunicação (34º). Em oposição, os indicadores com piores avaliações foram a estabilidade macroeconómica (62º lugar), a dimensão do mercado (51º), o mercado de trabalho (49º), as competências (43º) e o mercado de bens (39º).

Quando olhamos em maior detalhe para os indicadores em concretos, há várias componentes em que o nosso país regista muito bom desempenho, nomeadamente inflação (1º lugar), incidência de terrorismo (1º lugar), eletrificação (2º), barreiras alfandegárias (6º) e tarifas alfandegárias (7º), acordos ambientais (7º), regulamentação de insolvências (7º), qualidade de estradas (8º), regulamentação da eficiência energética (9º) e o crime organizado (9º).

Os resultados foram obtidos através da realização de um inquérito feito a empresas (150 no caso de Portugal) e em algoritmos que têm em conta vários indicadores estatísticos. No 5 primeiros lugares do ranking aparecem Singapura, Estados Unidos da América, Hong Kong, Holanda e Suíça. Em termos gerais, o Fórum Económico Mundial conclui que decorridos 10 anos da crise financeira global a economia mundial permanece estagnada apesar de todos os esforços dos bancos centrais.

Para mais informações sobre o Índice de Competitividade Global 4.0 poderão aceder a www.weforum.org/reports